Expert em saltos altos ensina como usar o modelo de sapato

Por Tatiana Sisti – Site Terra –

O sapato de salto alto é um item indispensável no guarda-roupa de qualquer mulher, seja ela mais clássica ou mais casual. O item é uma das peças fundamentais para deixar a mulher elegante, além de acrescentar muito ao visual. Mas, para isso, é preciso saber usá-lo.

Para algumas mulheres usar salto é algo natural, mas para outras pode ser um sofrimento. Namie Wihby, o homem que ensina modelos e celebridades, como Raica, Izabel Goulart, Viviane Orth, Alinne Moraes e Taís Araujo, a andarem com sapatos altos e também é jurado do Brazil’s Next Top Model, deu algumas dicas para você não perder a elegância quando estiver com alguns centímetros a mais.

“O primeiro passo é ter um certo carinho pelo sapato e usá-lo várias vezes antes de sair de casa. O que tem que estar confortável é o pé, não a mente”, explica. Muitos modelos lindos fazem os olhos das mulheres brilharem enquanto estão na vitrine e elas acabam comprando por impulsividade, sem saber se suportam usar.

Namie explica que cada sapato exige uma maneira diferente de pisar. “O gostoso é colocar um pouco no pé e sentir o conforto ou o desconforto. Assim você descobre qual sapato dá para ficar 4 horas e qual dá para usar por mais de 10 horas.” Alguns modelos podem ser uma surpresa e desestabilizar o corpo e a mente. Você pode não conseguir suportar o incômodo e, muitas vezes, a dor nos pés.

O scarpin é uma boa escolha para quem não quer errar. “Não existe outro tipo mais confortável e que deixa a mulher mais segura”, afirma o rei dos saltos altos, como é conhecido no mundo da moda. A dica para quem não tem costume de usar o modelo é começar com os mais baixos, como o número 5 e em seguida mudar para o 7. Mas se você já é adepta aos mais altos, tome cuidado: “é loucura sempre usar a mesma altura. Quando você usa um 10 com frequência e depois quer colocar um mais baixo, o pé fica estranho e parece que você está se arrastando pelo chão. O mesmo acontece se você mudar do 10 para o 15. Parece que você está muito mais alta e acaba forçando muito mais a perna”, conta.

A elegância está no andar
Deixe a postura ereta, o peito para fora, os ombros abertos e as pernas retas e fechadas. “A mulher que tem a luxuria de querer usar um modelo que não é adequado ao que ela está acostumada acaba usando o joelho como base de apoio. Horrível”, brinca Namie.

Outros erros comuns são deixar os braços abertos, fechar e apertar a mão, apontar um dedo para o chão ou olhar para baixo como formas de equilíbrio. “Corpo alongado te dá tudo que você precisa. Mantenha os braços próximos da perna”, detalha.

A passada larga dá mais segurança porque a mulher pisa mais firme e forte. “Isso não significa que você tem que acelerar o andamento. O ritmo é sempre moderado”, conta. As passadas mais curtas ficam para quando você estiver em uma rua desnivelada.

O salto ideal
O dono de uma coleção que já chegou a mais de 80 pares explica que tudo que é demais se torna deselegante. É preciso ter senso para tudo. “Os 18 são os para dar pinta. Não adianta querer andar na rua com ele”, explica. Esses modelos são ideais para uma festa que você sabe que ficará boa parte do tempo sentada ou para um happy hour, que dura menos tempo. “Ficar em uma mega festa com um salto 18, vai te deixar desconfortável e uma hora até seu sorriso vai ficar falso.”

A mulher mais comprida não deve usar salto muito alto. “Ela vai ficar uma girafa e homem nenhum gosta de mulher mais alta que ele. Isso deixa para as modelos”, brinca Namie. As mais baixas devem usar pelo menos um número 7. “Os saltos podem ser roliços, quadraros, ou finos. Mas eu sou apaixonado pelo salto fino. Ele deixa a mulher absolutamente elegante, as outras morrem de inveja e para os homens, é um fetiche”, revela.

A anabela ou a plataforma dão segurança para as iniciantes, mas o risco de virar o pé é ainda maior.

E se o salto quebrar?
“Tire os dois sapatos. Ficar só com um deles é a morte, muito cafona”, diz. Mas se você consegue ter o domínio de se equilibrar mesmo com o salto um pouco solto ou não perceber que isso aconteceu, pode continuar com eles.

O salto é uma das peças mais democráticas da moda e qualquer mulher pode usar. “Vejo muita gordinha que dá um baile de leveza nas magras. O salto é feminino e a grande sacada para andar bem é gostar de ser mulher e de explorar esse ar feminino”, finaliza Namie.

Link para matéria

Share this Post: Facebook Twitter Pinterest Google Plus StumbleUpon Reddit RSS Email

Related Posts

Comments